Modelo Beatriz Rabelo conta sobre sua trajetória, desafios da carreira e sobre o “Catwalk Challenge”

Falamos com Beatriz Rabelo, a vencedora da segunda etapa do desafio #CatWalkChallenge.
Falando um pouco sobre sua carreira, mudanças e o que o desafio significou para ela.

No último mês o #CatWalkChallenge movimentou as redes sociais de modelos de todo o país, trazendo novos talentos para os holofotes. Um deles sem dúvida foi a modelo Beatriz Rabelo (@biarabelobr), que conseguiu trazer um alto engajamento para o desafio além de ser a escolhida com vencedora da segunda etapa, batemos um papo que você confere agora:

Olá Bia, primeiramente parabéns pelo prêmio e por sua participação no desafio. Conta um pouco mais de você para nós:
– Oi, eu sou a Bia Rabelo, tenho 24 anos, sou mãe, modelo, atriz, publicitária e mãe de pet.

Bia, conta pra gente de onde nasceu essa vontade de modelar?
– Tudo começou com 4 ou 5 anos, onde minha mãe me levou para tirar minhas primeiras fotos “profissionais”, que era em um estúdio meio que improvisado, e lembro que eu queria fazer algumas poses que o fotógrafo não deixava e posso dizer que foi lá que começou o sonho.

De onde você tira motivação para modelar comercialmente, sendo que hoje em dia todo mundo tem uma câmera na palma da mão?
– O sonho profissional, com certeza! A vontade de estar na frente de uma câmera, de estar modelando, além claro de poder ter um olhar de outra pessoa sobre o “meu eu “

Conta um pouco sobre sua carreira, onde você começou, como foi desenvolvendo a sua carreira:
– Eu sempre fui muito movida pelos comerciais de TV da época e pelo meu sonho de aparecer para o mundo. Então depois das primeiras fotos acabamos nos mudando de cidade e só voltando pra São Paulo com 7 anos e depois de insistir para os meus pais consegui me agenciar, porém foi um período sem trabalhos e de muita frustração, então acabei deixando pra depois esse sonho. E começo a focar no teatro que é uma das minhas paixões também anos, fiz um curso e me formei e quando faço 12 anos tenho a oportunidade de participar de um curso de passarela e etiqueta pela lojas Pernambucas e o sonho adormecido ressurge, participei de desfiles e alguns pequenos trabalhos, com o passar do tempo comecei a participar de uma companhia teatral que fazia alguns trabalhos pequenos, algumas ações sociais e continuava a fazer alguns trabalhos como modelo para lojas pequenas e amigos fotógrafos.

Pulando para 2016, logo após o nascimento da minha filha, eu fui tentar recomeçar de fato a carreira de modelo; Uma amiga de infância minha me convidou para alguns trabalhos como modelo de maquiagem, e aos poucos eu fui reencontrando meu lado modelo novamente, minha autoestima, e até mesmo me reencontrando como mulher, tentando me ver bonita mesmo após esse período pós parto.
Nesse mesmo período conheci a agência que estou até hoje ( Mesa de Booker ), que me convidou pelo facebook pra conhece-los e fazer um book. Depois de ir lá eu ainda fiquei um pouco insegura de voltar a modelar, porém tive muito apoio do Rodrigo (meu companheiro de vida/namorido) que me incentivou a investir novamente no sonho de modelo e que me impulsionou a estar lá, e foi lá onde tive a oportunidade de trabalhar para empresas maravilhosas como Wella, Felps, Catharine Hills, Cinemark, Cílios de Boneca e muitas outras.

 

Quanto que a maternidade impactou no seu trabalho como modelo?
– O impacto maior é com certeza no meu corpo (risos) antigamente eu tinha perfil passarela, com cintura 36, coisa que hoje eu não tenho mais, porém eu não mudaria nada. Confesso que achei que iria ter mais impacto nos trabalhos, mas muito pelo contrário, hoje em dia tem marcas que me procuram exatamente por esse perfil modelo e mãe que eu tenho hoje.

O que te fez querer entrar no CatWalkChallenge?
– Principalmente por estar quase surtando nessa quarentena (risos) e ai eu pensei que precisava fazer alguma coisa que eu gosto antes que eu enlouquecesse, aí eu vi uma das minhas melhores amigas falando sobre o desafio no Instagram e pensei que seria uma oportunidade de participar de algo legal de me distrair um pouco e quem sabe ter uma visibilidade legal.

Fora as etapas, o que te desafiou mais no CatWalkChallenge?
– Eu acho que o mais complexo com certeza é acreditar que nós conseguimos fazer algo, principalmente por conta da quarentena que restringiu muitos trabalhos para quem trabalha com moda. Eu estava em uma frequência boa de trabalhos no final do ano passado e esse ano, basicamente, todos os trabalhos foram parados.

O que significou o desafio para você e o que você enxerga de oportunidades pós desafio?
– Eu ainda estou processando tudo que aconteceu, ainda fica na minha cabeça que tudo o que aconteceu não foi comigo porque parece que é muito bom para ser verdade.

Mas com certeza o mais doido de tudo foi perceber como as pessoas estão do meu lado, dos mais diversos tipos, pessoas que não falo a muito tempo, desafetos do tempo de escola, toda a minha família fazendo torcida organizada, foi muito louco ver todo mundo mandando mensagem de apoio, esse carinho pela sua conquista com certeza é o que mais significou pra mim.
Eu ainda não consegui ter dimensão de quantas oportunidades podem aparecer por conta do desafio, são muitas páginas e pessoas envolvidas, assim como o Silvio, que é uma referência e que sempre encontra os melhores Brasil a fora. Mas eu posso dizer que essa é a maior oportunidade, principalmente em relação a visibilidade, que eu tive. Só espero que logo tudo isso passe pra que eu consiga mostrar para essas pessoas tudo que eu sou capaz.

Desejamos tudo de bom e de melhor, esperamos que a pandemia passe logo e que você receba todo o destaque que você merece.

Quem quiser seguir a Bia no instagram é só procurar por @biarabelobr.